Dia de Yemanja

Tudo que sei sobre Yemanja aprendi com os ancestrais africanos.

Sim, eles mesmos, de quem falo sempre, os Pretos Velhos.

Pois sou apenas uma descendente, querendo espalhar muito amor.

Sigo as orientações da cultura afro-brasileira.

Por isso, ontem, a tardinha, comecei a me preparar para o dia de Yemanja. Comprei as rosas brancas e pintei algumas de azul.

Deixei elas numa jarra com água e coloquei o despertador para `as 6h30 da manhã. Acordei. Me vesti de branco e azul. Embrulhei as rosas para levar até a praia. Ao chegar na Praia de Copacabana, por volta das 7h30, desembrulhei as rosas antes de caminhar na areia. 

Pedi licença a mãe Yemanja e comecei a caminhar com o seu presente em mãos –  as rosas azul e branco – cantando o Ponto: Ê nijé nilé lodo, Yemanja ô, Acota pê lê dê, Iyá orô miô…  até chegar a beira mar

O andar na areia foi longo, reflexivo e de muito agradecimento. A areia ainda estava fria. O mar foi aparecendo aos poucos. Fui organizando as ideias para falar com Yemanja. Precisaria de muita concentração durante a minha reza que aconteceria dentro do mar. Depois da reza terminada, entregaria as dez rosas.

Com os pés na areia, consigo sentir parte de sua energia. E com passos firmes sigo em direção ao som que escuto e me guia. Pouco a pouco o som vai aumentando. Logo não escuto mais nem minha respiração, pois a própria se confunde com esse som vai e vem do mar que toca a areia e parece simular o sangue que perpassa o meu corpo água.

Com essa relação me reconstruo, me penso água, navego dentro e fora de mim, diluo meu pensamento em sua grandeza e força desse grande volume de energia que vem da água que envolve os territórios continentais de nosso planeta azul. Sereias, caboclas, marinheiras e marinheiros, piratas, seres do mar, peixes e toda biologia marinha, que fluem sua existência nesse território fluído, marítimo, água salobra, receptora de todas as águas do planeta, lagos, rios, cachoeiras, desaguam nos nossos mares. Grande ponto de força da Umbanda e Candomblé – energia da água sagrada – Saravá Yemanja. A sua energia é sempre bem-vinda.

Entrego com muito amor essas rosas com minha reza de grande gratidão.

Eu sou do mar, filha de santo com o orí [1]  regido por Yemanja e Pretos Velhos, orixá e guias de frente do meu orí.

Luanda


[1] Orí: cabeça


Posted In

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s