Projetos

Propostas realizadas pela artista que não foram exibidas mas são importantes para a sequência e desdobramento do percurso da prática artística.

Série Esteiras de Passagem, 2018

Objeto, diversos utensílios dos Guias Pretos Velhos sobre esteira de taboa, dimensão 100 x 150 cm

A esteira, usada nos terreiros, compõe um quadro, que tenha os referenciais da vida de pessoas escravizadas, quando encarnados. O  nome dado ao trabalho se refere a passagem desse corpo escravizado para o plano espiritual denominado Aruanda, onde estão os Guias Pretos Velhos.

Esteira de Passagem de Maria Conga
Esteira de Passagem de Pai Cipriano

Série pontos bordados riscados, 2019

Objeto, patuás e ponto bordado sobre pano de algodão, dimensão 74 x 70 cm 

O trabalho tem  referência nos rituais sagrados de matriz africana, onde ao oferendas são realizadas no chão, assim como os pontos riscados pelos Guias e Orixás, por isso, o trabalho é exibido no chão.

Oferenda de Preta Velha
74 x 70 cm

Estandarte de Aruanda

Oferenda de Preto Velho
74 x 70 cm

marcas da escravização , 2018

fotografia, desenho do corpo da artista esculpido sobre a parede, dimensão 168 x 100 cm colaboradores: Luísa Horta (desenho), César Jordão e Rodrigo Nunes Rodrigues (escultura)

Minha proposta nessa obra foi relembrar o hábito de enterrar pessoas escravizadas na parede da Casa Grande ou Senzala realizado durante a escravização pelos senhores de escravizados para efeito moral aos outros, muitas vezes, as pessoas eram enterradas vivas. Por abominar essa prática, decidi deixar exposto em uma parede, a marca de tantas almas que sofreram esse tipo de castigo.