Biografia e currículo

Luanda
LUANDA. Artista, criação e coordenação da Plataforma Ateliê Terreiro, Doutora em Artes pela UFRJ, Umbandista.
Trabalha com diversos meios e linguagens da arte contemporânea principalmente com instalação, pintura, performance e video; Mas também com som, fotografia, desenho, livros e cadernos de artista.
SUAS PROPOSTAS EM ARTES SÃO ELABORADAS E apresentadas A PARTIR DE UMA REFLEXÃO DE SUA ancestralidade MISCIGENADA EM CONEXÃO COM A AMÉRICA ANDINA E A ÁFRICA OCIDENTAL, potencializadas com as marcas culturais e históricas da colonização e escravização na américa e no mar negro atlântico. as PRODUÇões artísticas CRUZAM-se às vivências ancestrais de terreiro e constróem uma prática artística entre arte e incorporação, ARTE E ancestralidade, ARTE E memórias/histórias atlânticas e decolonialidade.
Possui obras nas coleções: MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO RIO GRANDE DO SUL MACRS; Fundação Vera Chaves Barcellos FVCB-rs; SESC-SP; VIDEOTHèque joaquim pedro de andrade-maison du brésil;coleções particulares.

Eu sou das águas, filha de santo rodante com o orí regido por minha mãe Nanã,  meu pai Xangô e Pretos Velhos, orixás e guias de frente do meu orí. A minha relação espiritual com a energia do mar é muito próxima. Minha atitude com o mar, política, histórica, social, cultural é relacional. Meu percurso de trabalho foi a busca de uma voz ancestral africana, voz que fui encontrar na cultura afro-brasileira, num Terreiro de Umbanda, o sagrado que tem relação direta com o ponto de força natural, o mar. Assim, foram despertadas minhas questões de prática artística e de estudos decoloniais. (…) Meus trabalhos trazem a importância da herança das culturas de matriz africana e indígena no Brasil, mostrando uma cultura afro-brasileira, que foi marcada pela opressão, mas também pela liberdade e a resistência dos povos. Trabalho ideias antirracistas na emergência e na utopia de uma possível igualdade racial. No Ateliê Terreiro, realizo obras que visitam histórias passadas e criam narrativas decoloniais. Na perspectiva contemporânea de uma arte ancestralizada, produzo obras em série e giras, fabulações de formas mistas e uma proposta conceitual de afirmação da cultura afro-brasileira proveniente dos terreiros. Fundamentalmente, é um trabalho feito em inspiração com guias ancestrais afro-brasileiros e o meu corpo mediunizado se tornou a chave desse processo artístico. Eu assumi uma identidade ancestral. Hoje sou Luanda, uma mulher marrom, cisgênero, heterossexual, racializada e de terreiro, uma artista contemporânea que articula mudanças.”

Zanzando em torno do mar trecho de texto inicial da Tese de Doutorado (2021) da artista Luanda

Luanda, Porto Alegre/RS, vive no Rio de Janeiro/RJ

+ 55 (21) 96536 3188
luanda.art@gmail.com

Formação

Doutora em Artes, Escola de Belas Artes -EBA – Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ. Bolsa Capes 2016-2021.
Mestrado em Artes, Escola de Comunicação e Artes – ECA, Universidade de São Paulo– USP.
Bacharel em Artes, Instituto de Artes – IA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.


Cineasta com registro profissional de Diretora cinematográfica Drt 4892 / São Paulo.

Exposições Individuais

[2022] CACHIMBA, Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira – MUHCAB, Rio de Janeiro-RJ/Brasil

[2019] LIBERDADE: 4 ATOS. Galeria Mamute, Porto Alegre-RS/ Brasil.

[2017] MAR NEGRO, Galeria do Paço Municipal, Porto Alegre-RS / Brasil.

Indicação ao Prêmio Açorianos de Artes Plasticas do RS 2018

[2015] SLIDE, Galeria Mamute, Porto Alegre-RS/ Brasil.

Indiçacão ao Prêmio Açorianos de Artes Plasticas do RS 2016

Exposições Coletivas

[2022]

Quarantine, Sesc Ipiranga, São Paulo-SP, Brasil (até 30/04/2022) 

Pelo Mar Que Nos Leva Mais Longe, curadoria Henrique Menezes, Galeria Mamute, Florianópolis-SC, Brasil

[2021]

Ver-Ão, curadoria Alexandre Sá, co-curadoria Tânia Queiroz e Carmen Riquelme, Oásis, Rio de Janeiro-RJ, Brasil 47% de Artistas Mulheres no Acervo do MACRS, Curadoria Cristina Barros, Marina Roncatto, Mel Ferrari, Nina Sanmartin, PoA-RS, Brasil
Linguagens da Arte Contemporânea, convidadas Luanda e Paula Duarte, Mesmo Sol Outro, Juiz de Fora-MG, Brasil  P.art.ilha Ação #5 , Galeria Mamute, site P.art.ilha, Brasil
Feira de Grandes Formatos, Art Soul / Galeria Mamute, São Paulo, Brasil SP-ARTE Viewing Room, Galeria Mamute, Brasil. 

Confluências (live), convidados Luanda e Moisés Patrício, Galeria Mamute, Porto Alegre, Brasil 

Múltiplas: Luanda, Letícia Lambert, Claudia Hamerski, Camila Élis, Andressa Cantergiani, curadoria Henrique Menezes Galeria Mamute, Porto Alegre, Brasil
Artistas Gaúchos na Fundação Iberê, curadoria Emílio Kalil, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, Brasil Memória Covid19 – Série Testemunho, Cocen / Fapesp, Campinas, Brasil

Projetos Plataforma Ateliê Terreiro 2021 / Curadoria Luanda: Ocupação Abril Indígena, Ateliê Terreiro, Rio de Janeiro, Brasil
Arte e Sagrado Afro-diaspórico (live), Ayrson Heráclito, Luanda e Luísa Magaly, Ateliê Terreiro Convida, Rio de Janeiro, Brasil
Ocupação Maio Afro-brasileiro, Ateliê Terreiro, Rio de Janeiro, Brasil
Arte Indígena Contemporânea, Jaider Esbell, Paula Berbert, Luanda e Pako Jakutynga (live), Ateliê Terreiro Convida, Rio de Janeiro, Brasil

21 Dias de Ativismo Contra o Racismo (live), Ateliê Terreiro, Rio de Janeiro, Brasil

[2020]

SP-ARTE Viewing Room, site SP-Arte, Brasil. 

Fotos Pró Rio, site Galeria Aymoré, Brasil. 

A Arte da Quarentena, site ArtSoul, Brasil. 

P.Art.lha, galerias, site Partilha, Brasil. 

Projeto Arquipélago curadoria grupo Ío, Porto Alegre, Brasil 

Projeto Quarantine, curadoria Cristiana Tejo, Marilá Dardot, Laís Myrra e Júlia Morelli, site 55 SP Art, Brasil 

Flutua. Galeria Mamute (Porto Alegre). obra “Cura de Oxum”. 2020. 

O que pode uma curadoria descolonial?, Revista Poiésis, Ensaio visual da obra “Mesa de Griot” (série) 2020.

[2019]

Eu Estou Aqui Agora. Sala dos Pomares. Fundação Vera Chaves Barcellos (Porto Alegre). obra “Retratos da Vó Ana”. 2019. (acervo)

Plural. Curadoria Daniela Name e Gabriela Davies, Galeria Aymoré (Rio de Janeiro). obra “Procissão de Pretos Velhos”. 2019. (coletiva)

[2018]

Amar em Liberdade, curadoria Bernardo Mosqueira, Solar dos Abacaxis, Rio de Janeiro-RJ, BR.

Sopro, curadoria Marco Antonio Teobaldo, Museu do Inconsciente, Rio de Janeiro-RJ, BR.

Somos Todos Iguais, curadoria Marco Antonio Teobaldo, Centro Cultural Justica Federal-CCJF, Rio de Janeiro-RJ, BR

Absurdo é ter Medo, curadoria Marco Antonio Teobaldo, Galeria Pretos Novos de Arte Contemporanea, Rio de Janeiro-RJ, BR.

Mar Negro, Tenda do Caboclo Mata Virgem, Rio de Janeiro-RJ, BR.

Segundo Ato, Largo das Artes, texto Simona Nastac, Rio de Janeiro-RJ, BR.

Como Resistir no Mundo de Hoje, Galeria Canizares, Salvador-BA, BR.

Processos Abertos, Galeria Mamute, Porto Alegre-RS, BR.

Sopro, Fresta Mostra Audiovisual, Galeria A Sala, Pelotas-RS. BR.

[2017]

Sursa, Centro Cultural Cassino, curadoria Simona Nastac, Slanic Moldova, Romênia

Políticas Incendiárias, Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro-RJ

Imersões Poéticas, curadoria Marcelo Campos, Marisa Flórido, Casa França-Brasil, Rio de Janeiro-RJ

Do Abismo e Outras Distâncias, curadoria Bruna Fetter, Galeria Mamute, Rio de Janeiro-RJ

Sopro, 2ª Fresta Mostra Audiovisual, Rio Grande- RS

Passagens e Apologias, 1a Mostra Retrospectiva Audiovisual Sem Destino, Galeria Goethe-Institut, Porto Alegre – RS

[2016]

Mostra CenaCinema, PPGAV-EBA-UFRJ, Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro-RJ/BR.

Mulheres Artistas – a perspectiva feminina na coleção do MAC RS, Museu de Arte Contemporânea, Porto Alegre-RS/BR.

Ensaio Sobre o Visível, curadoria Ana Albani, Galeria Mamute, Porto Alegre-RS/ BR.

Ambientes, 15a Mostra do Filme Livre, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte/ BR.

[2015]

Saara Nights + Mostra dos Residentes, Largo das Artes/ Despina, Rio de Janeiro-RJ/ Brasil.

Gazua + Mostra dos Residentes, Largo das Artes/ Despina, Rio de Janeiro-RJ/ Brasil.

A Inventariante e Série Projeções, Festival Ruído.Gesto. Ação&Performance – Corpo Fechado, FURG, Rio Grande-RS/ Brasil.

Dale, 14ª Mostra do Filme Livre, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo e Belo Horizonte/BR.

De Longe, de Perto, curadoria Angélica de Moraes,

2ª Mostra Artistas Representados, Galeria Mamute, Porto Alegre/ RS;

Cordas e Mares, projeto de residência, Programa Clarabóia de Residência Artística, Largo das Artes, Rio de Janeiro/BR.

[2014]

Mostra Mulheres na Direção, Cine Santander Cultural, Porto Alegre/BR.

Sul-Sur (coleção MAC RS), Espacio de Arte Contemporáneo – EAC, Montevideo, Uruguai.

Cartografías Invisibles, Atelier Ponto Aurora, São Paulo/BR.

Passagens e Apologias-diário de viagem, Audiovisual Sem Destino – ASD, Pinacoteca Barão de Santo Ângelo, IA-UFRGS, Porto Alegre/BR;

Passagens e Apologias-diário de viagem, X Muestra Monográfica de Media Art – Festival Internacional de La Imagen, Manizales/ Colombia.

Cinemapradois,13a Mostra do Filme Livre, Rio de Janeiro/ BR. Alfabeto Beauvoir,

Feira Plana Publicações Independentes, Museu da Imagem e do Som, São Paulo/ BR.

Cartografias Invisibles (projeto de residência), Programa internacional de residências artísticas – ACE Pirar, Fundacion ACE para el Arte Contemporaneo,

Buenos Aires/ AR | Edital de Intercâmbio no 2/ 2013, Fundo Nacional de Cultura, Ministério da Cultura – MinC/ BR;

1ª Mostra Artistas Representados, Galeria Mamute, Porto Alegre/BR;

Coleções

Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – MACRS

Fundação Vera Chaves Barcellos – fvcb

SESC – SP

Colecão Particular, Porto Alegre – RS

Coleção Particular, São Paulo – SP

Filmografia

Cinemapradois (2000/3min/super-8 found footage/RS), Direção e Edição Patrícia Francisco;

Parede (2000/7min/super-8 found footage/RS) Direção e Edição Patrícia Francisco;

Sem Título (2001/ 3min/ 16mm found footage/RS) Direção e Edição Patrícia Francisco;

Paisagem no Cinema (2002/ 5min/ video found footage/RS) Direção e Edição Patrícia Francisco;

Eu preciso acreditar (2005/ 47 segundos/video/SP) Direção e Edição Patrícia Francisco;

Carta para Goeldi (2006/ 1min37seg/ video/SP) Direção e Edição Patrícia Francisco;

Sindsaúde (2007/15min/ video/SP) Direção e montagem Patrícia Francisco; Produção ViaTv;

Outro Ensaio (2007/ 10min/ video/SP) Direção e roteiro Patrícia Francisco; Produção ViaTv;

Meninos e Meninas do Belém (2008/15min/ video/SP), Direção e roteiro Patrícia Francisco; Produção ViaTv;

Juventude – sindicalismo e inclusão social (2008/10min/ video/SP), Direção Patrícia Francisco; Produção ViaTv;

Retratos da Vó Ana (2008/ 5 min/ video/SP) Direção Patrícia Francisco; Produção Cinemapradois/ USP;

Eu, trilho (2008/ 20 min/ video/SP) Direção Patrícia Francisco; Produção Cinemapradois / USP;

A Inventariante (2010/ 7 min/ 500 fotos, animação/SP) Direção Patrícia Francisco; Produção Cinemapradois

40 Posts (2011/ 20 min/ video/SP) Direção Patrícia Francisco; Produção Cinemapradois

Cartografias Ocultas (2011/ 60 min/ video/SP) Direção Patrícia Francisco; Produção Casa das Caldeiras;

Alberto (2013/ 15 min/ video/SP) Direção Patrícia Francisco, Gabriel Meirelles, Jéssica Grant;

Produção Cinemapradois / Museu Paulista-USP;

Passagens e Apologias – diário de viagem (2014/ 3min/ video/ SP) Direção e Prod: Patricia Francisco

Cartografías Invisibles/ Dale (2014 / 12 min/ video/ Buenos Aires) Direção e Produção: Patrícia Francisco;

Que Cantadora A Vida Me Fez (2014/ 80 min/SP) Direção, roteiro e montagem Patrícia Francisco;

Patrocínio Natura – Edital Nacional Natura Musical.